Paróquia Rosa Mística

Sínodo da Arquidiocese de Goiânia

Terceira Sessão Sinodal

A Terceira Sessão Sinodal foi realizada no Centro Pastoral Dom Fernando no dia 14 de abril de 2012. Participaram do encontro: leigos, padres, religiosos (as), e visitantes, totalizando aproximadamente 400 pessoas. A sessão discutiu a prática da Caridade nas paróquias e comunidades da Arquidiocese de Goiânia.

Após as preces a Deus, acompanhadas pelo coral os trabalhos foram iniciados. Esta terceira sessão do Sínodo Arquidiocesano tem como base a Carta Pastoral nº 12, sob o tema “O Amor Vence Tudo”, escrita pelo nosso arcebispo dom Washington Cruz e nos lembra que devemos “olhar toda a vida de uma diocese e chegar a conclusões, inclusive elaborar normas que visem a maneira mais correta de desempenhar a missão da Igreja”.

Com a palavra o relator da terceira sessão, professor Wolmir Amado, diz que é a Caridade, que faz frutificar a verdade, que testemunha o amor solidário que transforma as relações, que protege a vida. O relator preparou uma cartilha sobre a Caridade, onde descreve sobre a finalidade social do Estado e da Sociedade, suas várias facetas, sua importância e suas dificuldades.

Nesta sessão as discussões em grupos aconteceram pela manhã e também foram riquíssimas, com integrantes de todas as paróquias, leigos, padres e religiosos, bem como convidados e visitantes, onde foram formuladas questões que levassem a todos a refletir sobre a importância da Caridade em nossas vidas, a criação de um banco de dados, a interação entre as paróquias, a troca de experiências entre as comunidades, a caridade como foco da catequese infantil, etc. Em seguida, no auditório, um representante de cada grupo de estudo apresentou o relatório sobre as discussões, sugestões e posicionamentos levantados.

À tarde abriu-se a sessão para intervenções pessoais. Os sinodais pontuaram elementos que podem contribuir para que a Caridade seja de fato colocada em prática, seja vivenciada e celebrada com mais intensidade. Cada sinodal teve cinco minutos para fazer a sua colocação. O Arcebispo de Goiânia, Dom Washington Cruz, ao encerrar a sessão falou que para a Caridade acontecer é necessário desprender do eu e viver a Comunhão. Comunhão esta, que requer entrega total e comprometimento com a Palavra de Deus.

No final todos foram convidados para a missa de encerramento do sínodo, que será realizada no dia 24 de maio de 2012 às 19h00min na Catedral Metropolitana de Goiânia.

Como foi solicitado aos delagados sinodais, que levassem banners que representassem os trabalhos sociais realizados por suas paróquias, à medida que iam chegando, os fiscais fixavam os banners em locais estratégicos. Vejam as fotos abaixo, bem como da sessão.

img_3363

img_3366

img_3371

img_3374

Segunda Sessão Sinodal

A Segunda Sessão Sinodal foi realizada no Centro Pastoral Dom Fernando no dia 10 de março. Participaram do encontro: leigos, padres, religiosos (as), e visitantes, totalizando aproximadamente 400 pessoas. A sessão discutiu a Sagrada Liturgia das paróquias e comunidades da Arquidiocese de Goiânia.
Após as preces a Deus, os trabalhos da segunda sessão foram iniciados. O relator do Sínodo, Padre João Carlos lembrou que para refletir a Sagrada Liturgia o cristão deve ter plena consciência de que toda a sua ação nasceu da Palavra de Deus. É por meio dela que a Igreja deve remeter-se e guiar-se.
O relator disse ainda que a segunda parte do Instrumento de Trabalho aborda de forma belíssima a ligação da Palavra com a Liturgia. Encerrando o seu discurso ele apresentou a jornada de reflexão e discussão do dia.
Após a declaração abriu-se a sessão para intervenções pessoais. Os sinodais pontuaram elementos que podem contribuir para que a Sagrada Liturgia seja vivenciada e celebrada com mais intensidade. Cada sinodal teve cinco minutos para fazer a sua colocação. Em seguida, o bispo-auxiliar explicou como seriam os trabalhos de grupo. As atividades da manhã encerraram-se com a Oração do Angelus.
À tarde, um representante de cada grupo de estudo apresentou o relatório sobre a Sagrada Liturgia. Ao final, abriu-se novamente para as intervenções pessoais. O Arcebispo de Goiânia, Dom Washington Cruz, ao encerrar a sessão falou que para a Sagrada Liturgia acontecer é necessário desprender do eu e viver a Comunhão. Comunhão esta, que requer entrega total e comprometimento com a Palavra de Deus.

Foi lembrado que a última sessão sinodal será realizada no dia 14 de abril e terá como frente de trabalho a Caridade. Para isso, foi ressaltado aos delegados, padres e religiosos (as) que leiam o Instrumento de Trabalho, da página 45 à 69.

E para entender melhor todo o processo sinodal você pode consultar:
a) Sagrada Escritura;
b) Catecismo da Igreja;
c) Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2011-2015;
d) Estatuto do Sínodo;
e) Carta Pastoral n° 8 – Sínodo Arquidiocesano;
f) Carta Pastoral n° 10 – O Espírito Santo, a Igreja e a Liturgia;
g) Carta Pastoral n° 12 – O amor vence tudo.

Primeira Sessão Sinodal

Aconteceu no último sábado, dia 11, a primeira sessão sinodal da Arquidiocese de Goiânia, no Centro Pastoral Dom Fernando, tendo como tema a Palavra. Após momento de profunda oração e abertura dos trabalhos o relator do Sínodo, Padre Arthur Freitas recordou a exortação apostólica Verbum Domini “a palavra de Deus é o coração da vida cristã, a Igreja funda-se sobre ela, nasce e vive dela” (cf. VD. 3).

Após a declaração abriu-se a sessão para intervenções pessoais. Os participantes apresentaram luzes e trevas a cerca do tema, a Palavra. Cada um teve cinco minutos para fazerem a sua explanação, depois a assembleia foi dividida em 15 grupos, onde cada um colocou suas considerações com relação às perguntas descritas no Instrumento de Trabalho. E para terminar as atividades da manhã, um delicioso almoço.

Na parte da tarde, cada grupo apresentou o relatório do que foi discutido sobre a Palavra. Ao final das exposições, abriu-se novamente para as intervenções pessoais. Dom Waldemar, secretário do Sínodo, recordou a participação de todos neste momento sinodal e passou a palavra para o presidente da sessão, o Arcebispo de Goiânia, Dom Washington Cruz que abençoou à todos e encerrou a primeira sessão.

img_3299

img_3295

img_3291

img_3284

Missa de Abertura do Sínodo

img_3253

img_3275

A Missa de Abertura Solene do Sínodo Arquidiocesano, aconteceu dia 4, na Catedral Metropolitana, onde o arcebispo iniciou sua homilia citando o Santo Padre, Bento XVI, “A libertação fundamental que a Igreja nos pode oferecer é permanecer no horizonte do eterno”. Com esta frase Dom Washington sintetizou a finalidade deste momento que a Igreja está vivendo: o Sínodo.

“Todos nós nesta Arquidiocese de Goiânia nos levantamos hoje, e pondo-nos de pé, proclamamos que queremos viver neste horizonte, para assim poder descobrir o que Senhor Jesus Cristo deseja de nós. Isto supõe, é claro, sair para fora dos limites do nosso pensar, do nosso saber e do nosso fazer habitual, para entrarmos na sabedoria de Deus, deixando-nos levar por seu Espírito… Estou convencido de que o nosso Sínodo nos ajudará a estarmos, mais e melhor, em nossa própria casa, e a estarmos de uma maneira nova neste ‘maravilhoso, e ao mesmo, dramático mundo em que vivemos’”, pontuou o arcebispo.

Dom Washington lembrou em sua fala os três eixos que estruturam o caminho sinodal da Igreja, “a Palavra de Deus que queremos escutar. A Sagrada Liturgia que queremos celebrar. O Testemunho da caridade, sem o qual não somos cristãos de fato”. Ele encerrou frisando o compromisso dos fiéis, sacerdotes e religiosos (as) desta arquidiocese, “Sê uma Igreja fiel ao amor, fiel à palavra do Evangelho, às leis do amor fraterno! (Palavra, liturgia e caridade). Então serás um testemunho vivente da presença de Deus no mundo, crescerás, viverás e vencerás”.

Oração pelo Sínodo Arquidiocesano

Divino Pai Eterno, nós vos damos graças por nos haver revelado o Vosso amor e nos haver chamado para “caminhar juntos”, na Igreja, presença e memória de Vosso Filho Jesus. Vós nos chamais a testemunhar neste tempo a Vossa Palavra que nos faz viver.

Dai à Igreja que está nesta Arquidiocese o Espírito de sabedoria, para que, neste Sínodo Arquidiocesano, saiba ler os sinais dos tempos e responder aos questionamentos e aos
problemas dos jovens e das famílias, dos pobres e dos sofredores.

Sustentai nossa esperança nas dificuldades, dai-nos a coragem da renovação, o gosto para buscar apaixonadamente a verdade, a paciência no diálogo e a alegria de saber ouvir.

Suscitai em nós um novo ardor missionário para que saibamos levar ao nosso tempo a luz e a força do Evangelho, a Igreja possa ser memória e sinal visível da Vossa presença e do
Vosso amor.

Maria, Mãe da Igreja, intercedei por nós: reforçai a nossa vida de comunhão e fazei que sejamos neste mundo testemunhas de alegria e anunciadores de esperança. Amém!

Preparação para a Grande Assembleia Geral Arquidiocesana

O sínodo pode ser entendido de dois modos: o ambiente e o evento. Como ambiente, o sínodo é um modo de ser na Igreja. Caminhamos juntos, sempre. Como evento inspirador tem um grande encontro ou uma grande assembleia na qual representantes do povo de Deus, reunidos com o Arcebispo e o Clero, tem a oportunidade de compartilhar informações e experiências com o objetivo comum de buscar soluções pastorais.

O Papa Bento XVI, na solenidade de abertura do Sínodo dos Bispos sobre a Palavra, realizado em outubro do ano passado, fez o seguinte alerta: “Só a Palavra de Deus pode mudar profundamente o coração do homem, por isso é importante que entremos em uma intimidade cada vez maior com ela, tanto cada um dos crentes como as comunidades.”

No dia 28 de novembro, em audiência geral com o clero, religiosos e leigos presidida por Dom Washington Cruz, foi apresentado o painel das contribuições. Em seguida, o arcebispo
fez um pronunciamento e remeteu o material para a equipe executiva que, em dezembro, redigirá o primeiro capítulo do Instrumento Laboris, ou seja, o instrumento de trabalho que que será entregue aos delegados que irão participar das quatro grandes sessões do Sínodo Arquidiocesano em 2012. O conteúdo dessa primeira parte contemplará, portanto, a Palavra, o primeiro desafio do eixo temático do triênio preparatório.